terça-feira, 30 de julho de 2013

CRESCIMENTO RECORDE DE REGISTROS


Número de microempreendedores individuais cresce 735% no Vale do Paraíba no último triênio


Municípios menores se destacaram no período, registrando as maiores taxas de crescimento do programa no Estado de São Paulo 
Levantamento feito pelo Sebrae-SP com dados do Portal do Empreendedor mostrou que o número de Microempreendedores Individuais (MEIs) na Região Metropolitana do Vale do Paraíba cresceu 735% nos últimos três anos.

Em julho de 2010, as 39 cidades da região contavam com 4.628. O número saltou para 38.620 em julho de 2013, quase 400 vezes o que se registrava em 2010.

Empreendedorismo
Em números absolutos, São José dos Campos foi o município que obteve o crescimento mais acentuado, pois em 2010 possuia 1.372 registros, saltando para 10.031 no final do período citado, uma alta exponencial de 631%. Em seguida temos Taubaté, com 4.445 microempreendedores (938%) e Jacareí, com 2.529 (716%).
Mas em números proporcionais são os pequenos municípios que chamam a atenção de fato nesta pesquisa. Em Natividade da Serra, por exemplo, o crescimento desse tipo de empreendimento/figura jurídica foi de 8.700%, o maior da região.

Isso aponta que em três anos a cidade passou de um para 88 empreendimentos. Outra cidade com desempenho semelhante foi Lagoinha, que passou de um para 82 microempreendedores, alta de 8.100%. Na terceira posição vem Igaratá, com crescimento de 5.050%. 
Avaliação
O crescimento dos microempreendedores individuais na região é nitidamente apenas um residual resultado  implantação neste "pólo" de políticas de incentivo ao empreendedorismo no Brasil. Para o gerente regional do Sebrae-SP em São José dos Campos, José Fabio Tau Junior, além de garantir os benefícios da previdência social, a regularização da empresa proporciona mais credibilidade ao negócio, possibilitando novas oportunidades.

“Com um CNPJ ele tem mais segurança junto aos fornecedores e a possibilidade de fornecer produtos com nota fiscal, ampliando a possibilidade de vendas, já que os grandes clientes e as prefeituras municipais só compram de empresas formalizadas”, disse o gerente.

As políticas de valorização do Microempreendedor Individual também favorecem esses empreendimentos.“Acesso a crédito e outros serviços bancários, a preferência de prefeituras por fornecedores, a possibilidade de divulgar produtos e serviços nos meios de comunicação, tudo isso fortalece seu poder competitivo e aumenta as oportunidades do negócio, e para isso é importante que esse empresário esteja regularizado”, destacou Augusto Reis Ferreira, gerente do escritório regional do Sebrae-SP em Guaratinguetá.  

0 comentários:

Dí lo que piensas...