terça-feira, 13 de agosto de 2013

REGINA DE SOUZA EXEMPLO DE SUCESSO NO PROGRAMA DO MEI


Empresária do RS se especializa em 




aluguel de toalhas para pet shops





Regina aluga cerca de 1 mil toalhas por dia a lojas de Porto Alegre e já estoura o limite de faturamento e será provavelmente microempresária ano que vem. 

Estado dela já conta com mais de 180 mil microempreendedores individuais.



Regina montou negócio de aluguel de toalhas para pet shops e cresceu depois que saiu da informalidade (Foto: Divulgação)











Em menos de três anos, a vida de Regina de Souza Marcelino mudou muito, especialmente no campo profissional. Tudo isso se desencadeia quando ela leu em uma revista sobre um serviço de aluguel de toalhas para pet shops e resolveu aprimorar isso. Funcionária de uma loja do ramo localizada no municipio de  São Leopoldo, viu a possibilidade de montar seu próprio negócio neste segmento. O que começou na informalidade, precisou se profissionalizar para evoluir e atender as demandas. Depois de virar microempreendedora individual, a empresária agora entrega aproximadamente 1 mil toalhas por dia.
“Na época, falei com meus clientes veterinários sobre a ideia e eles disseram que não existia isso e que contratariam o serviço se existisse. Então, comprei as primeiras 100 toalhas”, explica Regina ao quadro Meu Negócio, Meu Emprego no Bom Dia Rio Grande (veja o vídeo ao lado).
Na primeira semana de atuação, a empresária já tinha três clientes. Poucos meses depois, com o sucesso, precisou investir em máquinas industriais de lavar e secar. “Fui batendo de porta em porta. Fiz folhetos e fui entregando em todas as pet shops que encontrava. Um foi indicando para o outro e acabei chegando a 900 toalhas em três meses”, diz Regina.
Atualmente, Regina está com a empresa legalizada e entrega mais de 1 mil toalhas por dia em 40 pet shops. “Tudo o que entra vai para a empresa. E eu sempre comento que o empreendedor começa sem nada. Ele inicia do zero. Então você tem que fazer dinheiro urgente para começar a crescer muito rápido. Não dá para gastar dinheiro que não seja para empresa”, conta.
Informalidade é sinônimo de problemas para quem abre um novo empreendimento. A falta de acesso ao crédito e outros entraves são apenas o começo de uma série de obstáculos que não permitem que o negócio cresça. A saída legal e menos burocrática para deixar o empreendimento em dia é o cadastro de microempreendedor individual ou MEi.
Somente no Rio Grande do Sul existem mais de 180 mil empresas cadastradas como MEi, o que significa 20% do total de empresas do estado, segundo dados fornecidos pela Receita Federal. Somente no primeiro semestre de 2013, mais de 600 mil microempresas individuais foram abertas no Brasil, segundo índices da Serasa Experian. Isso significa que quase dois terços das novas empresas abertas no país se enquadram na categoria de microempreendedor individual. As áreas de maior procura são comércio de confecções, serviços de higiene e embelezamento, reparação de prédios e instalações elétricas e alimentação.

0 comentários:

Dí lo que piensas...