quinta-feira, 7 de novembro de 2013

BRASIL MOSTRA PORQUE É CAMPEÃO EM EMPREENDEDOR



Brasil tem 1,26 milhão de novos empresários de janeiro a agosto



Deste total, 67% são de microempreendedores individuais (MEIs). 



MICROEMPREENDEDORES SÃO LIDERES EM ABERTUR A E FORMALIZAÇÃO DE NEGÓCIOS NO BRASIL.

GOOGLE SEARCH - 02/04/2011.

OFERECIMENTO:

MULHER ESPECIAL TEM QUE SER DESTACADA.


Uma pesquisa realizada pela SERASA EXPERIAN sobre avanço de registros de empresas no país durante o primeiro semestre de 2013 destacou que os MEI'S dominam os registros, esta pesquisa apontou que isso tem como motivações principais, entre outros fatores: a melhoria na plataforma do PORTAL DO EMPREENDEDOR (http://www.portaldoempreendedor.gov.br) segundo pesquisa 32% dos MEI'S entrevistados que se registraram no período citado apontaram essa razão para se interessarem no programa, outros 25% apontaram a desburocratização de todo processo - desde abertura e aquisição de um alvará provisório ou definitivo e facilitação de diversos tipos de obrigações, além disso ainda temos 15% que apontaram baixa carga tributária (DAS) com valores populares, entre outros motivos esse programa tem como principais vantagens o fato de incentivar as pessoas a empreender. 

Temos problemas evidentes na economia brasileira, tais como um momento de forte alta na inflação, mas a preocupação de instituições como o SEBRAE vem fazendo com que indicadores como O INDICADOR SERASA EXPERIAN DE NASCIMENTO DE EMPRESAS, divulgado em 30 de Outubro mostre que o crescimento do registro de empresas esteja num patamar bem maior que o último anuário, realizado em 2011 (1.137.030 novas empresas) e em 2010 (973.188 novas empresas).

DESTAQUEMICROEMPREENDEDORES SÃO MOLAS DA ECONOMIA FORMAL, DE ACORDO COM ESPECIALISTAS.BLOG SEBRAE - 05/07/2012.Segundo os economistas da Serasa Experian, mesmo com a atividade econômica fraca e a inflação alta ao longo de todo o período, os empresários de micro e pequenas empresas continuam confiantes em abrir seu próprio negócio.
A empresa destaca que a estatística de nascimento de empresas desses portes é crescente, incluindo os microempreendedores individuais (MEIs), que são mais da metade dos novos empreendimentos.
Do total de novas empresas criadas entre janeiro e agosto de 2013, exatamente encontramos 854.849 (67,1% do total) foram de MEIs; 155.121 (12,5% do total) foram de empresas individuais; 178.987 (14,3% do total) foram de sociedades limitadas; e 70.145 (6,1% do total) foram de empresas de outras naturezas jurídicas.
Segundo a Serasa Experian, a participação dos microempreendedores individuais (MEIs) no conjunto de empresas que a cada mês surgem no país vem aumentando progressivamente sendo os motivos citados no inicio da , respondendo hoje por pouco mais de 2/3 do total.
Agosto


Em agosto, porém, a quantidade de MEIs criadas (117.087) foi 4,6% menor que a de julho (122.790), enquanto que as empresas individuais apresentaram um pequeno crescimento, de 2,3% (21.730 em agosto, contra 21.243 criadas em julho). A quantidade de sociedades limitadas se manteve estável em relação ao mês anterior.



Este menor ritmo de criação de novas empresas em agosto na comparação com julho "pode ter sido reflexo do aumento da taxa cambial, impactando negativamente os índices de confiança dos empresários, inibindo-os, pontualmente, à abertura de novos empreendimentos", diz o estudo da Serasa Experian.
Regiões
O Sudeste é a região onde foi registrado o maior número de empresas abertas de janeiro a agosto: 628.222 empresas, o que representa 49,9% do total. Em seguida aparece a região Nordeste, com 230.257 empresas (18,3% do total).

Na região Sul foram criadas 209.182 empresas nos primeiros oito meses de 2013 (16,6% do total) e no Centro-Oeste surgiram 121.845 empresas (9,7% do total). Por fim, houve a criação de 69.596 (5,5% do total) empresas na região Norte no período avaliado.
A região Nordeste registrou o maior aumento no nascimento de empresas durante os oito primeiros meses de 2013 na comparação com igual período do ano passado (alta de 5,7%), seguida das regiões Sul (com aumento de 5,4%), Centro-Oeste (com 4,2%), Sudeste (com 3,9% de crescimento) e Norte (1,7%).
Setor
O setor de serviços concetra o maior número de empresas criadas de janeiro a agosto, quando 626.232 empresas abriram suas portas, representando 57,6% do total. Em seguida, foram abertas 351.050 empresas comerciais (32,5% do total) no acumulado dos oito primeiros meses de 2013 e, no setor industrial, surgiram 88.823 empresas (8,2% do total) neste mesmo período.

"Ao longo destes últimos quatro anos, tem crescido a participação das empresas de serviços no total de empresas que nascem no país. Esta participação aumentou 4,6 pontos percentuais entre os oito primeiros meses de 2010 (53,0% do total) e o mesmo período de 2013 (57,6% do total)", indica a Serasa Experian.
Por outro lado, a participação do setor comercial de empresas que surgem no país tem recuado nos últimos anos (de 32,9% entre janeiro e agosto de 2012 para 32,5% no mesmo período de 2013), ao passo que a participação das novas empresas industriais vem se mantendo estável, variando pouco – de 8,5% em 2010 para 8,2% em 2013.

PUBLICIDADE:

VOLTE AOS TEMPOS DE CRIANÇA, UM LUGAR PARA JOGAR CLÁSSICOS ONLINE.

0 comentários:

Dí lo que piensas...