quarta-feira, 9 de julho de 2014

PRINCIPAL BANCO APOIADOR DE MICROEMPREENDEDORES INDIVIDUAIS NO NORTE FAZ ANIVERSÁRIO


Principal agente de fomento do Governo Federal no Norte do País, o Banco da Amazônia chegou aos 72 anos hoje, 9 de julho, fortalecido e com um papel de destaque no desenvolvimento regional e empreendedorismo local. A instituição financeira é responsável por mais de 60% dos créditos de estímulo à produção e ao desenvolvimento local e está presente em todos os municípios da Região, existe um projeto de expansão nacional que foi iniciado em 2006 com a abertura de 15 agências no Sudeste.
“Nossa política creditícia está em 100% dos municípios do Norte, atendendo do microempreendedor individual à grande empresa. A cada ano, demonstramos o valor deste Banco, especialmente no que tange a nossa contribuição para o desenvolvimento local e para a diminuição das diferenças em relação às regiões mais desenvolvidas do país”, ressalta Valmir Rossi, presidente do Banco da Amazônia.
Os números alcançados pelo Banco confirmam a afirmação da principal figura da instituição, o Banco da Amazonia. Apenas no primeiro semestre de 2014, esta instituição conseguiu expandir sua oferta de crédito entre 15% a 20% em oferta de financiamentos fechados em comparação com o mesmo período no ano passado, além disso, o banco vem ampliando sua oferta também para microempreendedores individuais com um programa exclusivo para os empreendedores individuais, o chamado FNO MEI é hoje o terceiro programa integrado entre diversas soluções do banco, 2014 foi o ano responsável pela guinada de tal oferta com a geração e concretização de abertura de 10.000 mil novas contas só nesta categoria com o objetivo quase sempre de popularizar acesso menos burocráticos a serviços bancários para novos tipos de negócios com menor porte e estrutura.
O FNO-MEI hoje é uma realidade da instituição que oferece:
Podem ser descritos assim:
Investimentos para compra de máquinas, equipamentos, veículos e construção ou reforma do empreendimento. 

Capital de giro para  formação ou manutenção de estoques.

Quais as atividades que podem ser financiadas?

Comércio: Ex: Mercearias, Armarinhos, outras vendas.

Serviços: Ex: Salão de beleza, costureira, consertos de sapatos, oficinas. 

Produção: Ex: Confecções, padarias, artesanatos, marcenarias

Quais as condições do crédito?
  • Juros de 4,12% ao ano para investimento e 6,75% ao ano para capital de giro: Desconto para pagamentos em dia de 15% sobre os juros.
  • Prazo: Investimento: até 36 meses ; Capital de Giro: até 24 meses com carência de até 2 meses para iniciar o pagamento

Valor do crédito: 
  • Investimento: até R$ 15 mil
  • Capital de Giro: até R$ 5 mil
(*) a primeira operação é de até 50% destes valores.

Quais são as vantagens?
  • Crédito rápido e sem burocracia
  • Parcelas fixas e mensais
  • Crédito orientado e acompanhado
  • Valores progressivos e sucessivos
  • Menor taxa de juros
  • Não incidência de IOF
  • As garantias podem ser somente pessoais (aval)

Oportunidade de crescimento e saída da informalidade
Os números finais para os produtos MEI e outras ofertas do banco serão divulgados ainda em julho, quando for publicado o Balanço semestral, mas as metas alcançadas em 2013 já demonstram que a Instituição vem trilhando um caminho que merece ser comemorado.
No ano passado, o Banco da Amazônia injetou na economia regional o equivalente a R$ 6,65 bilhões, sendo que, deste total, R$ 4,7 bilhões vieram do Fundo Constitucional de Financiamento do Norte. Os recursos do FNO levaram o Banco a bater um recorde histórico: nos 23 anos de existência do Fundo, foi a primeira vez que a Instituição alcançou esse total de financiamento.
Em 2013, foram contratadas mais de 44 mil operações de crédito, sendo que a maioria, 39 mil, foi efetivada no setor rural, totalizando R$ 1,80 bilhão de investimentos, e cerca de cinco mil operações no setor não rural, em um total de R$ 2,92 bilhões de financiamentos. O resultado levou à superação da meta do exercício em 1,5% e a um crescimento de 10,3% em relação ao exercício de 2012, quando o Banco da Amazônia aplicou R$ 4,28 bilhões com os recursos do FNO.
As atividades econômicas que mais demandaram recursos do Fundo foram o comércio, a prestação de serviços, o setor agropecuário, agricultura familiar, turismo e as atividades industriais. “No Tocantins também houve um crescimento significativo. Aplicamos, somente com o FNO, mais de R$ 800 milhões, beneficiando os mais diversos setores produtivos. E este ano seguimos cada vez mais fortes, no sentido de dinamizar a economia do Estado e, consequentemente, contribuirmos para a melhoria da qualidade de vida da população tocantinense”, enfatiza Marivaldo Gonçalves de Melo, superintendente do Banco da Amazônia em Tocantins.
A história do Banco da Amazônia iniciou em 1942, quando, durante o período da 2ª Guerra Mundial foi criado o Banco de Crédito da Borracha para garantir o suprimento de borracha para os países aliados. Na década de 50, a Instituição passou a ser denominada Banco de Crédito da Amazônia, com o intuito de apoiar o desenvolvimento econômico da região Norte do país. E, em 1996, por meio da Lei nº 5.122, o Banco de Crédito da Borracha deu lugar ao Banco da Amazônia, funcionando como um Banco de fomento para benefício social da Região

0 comentários:

Dí lo que piensas...